Controle de acesso à internet nas empresas: o que bloquear e o que liberar?

Fonte: Lumiun

  Fazer o controle de acesso à internet é uma prática comum nas empresas e cada vez mais importante e necessária. Devem ser observados dois pontos principais na gestão do uso da internet em ambientes corporativos: segurança dos dados e produtividade da equipe!

  Na grande maioria dos incidentes ou falhas de segurança, a porta de entrada para ataques ou instalação de vírus são usuários que não conseguem identificar possíveis riscos e acabam clicando em mensagens de e-mail falsas ou links maliciosos na internet.

  Os tipos de incidentes com maior ocorrência atualmente são:

  • Sequestro de dados, também conhecido como Ransomware
  • Fraudes financeiras, como alteração de boletos
  • Phishing ou roubo de dados sigilosos a partir de sites falsos
  • Instalação de vírus e comprometimento da rede e equipamentos


  Em relação a produtividade da equipe, os gestores precisam evitar o desperdício de tempo ou falta de foco dos colaboradores com atividades na internet que sejam pessoais ou não tenham relação com o trabalho. Infelizmente essa é uma prática comum nas empresas, pesquisa aponta que os funcionários gastam apenas 43% do tempo da semana de trabalho em funções que foram contratados para fazer.

  O uso indevido da internet pelos colaboradores pode comprometer e muito a produtividade da empresa. Esse desperdício de tempo pode ocorrer de inúmeras maneiras, no acesso a redes sociais como Facebook ou Instagram, acesso ao e-mail pessoal, serviços de comunicação como WhatsApp ou Telegram, sites de entretenimento, compras, esporte, entre outros.

  Segundo a pesquisa, os trabalhadores são interrompidos em média 14 vezes por dia por causa dessas ferramentas da internet e a cada interrupção o funcionário leva em média 20 minutos para voltar à tarefa original.

Mas como definir a política de uso da internet na rede da sua empresa? O objetivo desse artigo é auxiliar na resposta para essa questão.

O que bloquear no controle de acesso à internet?

  A definição do que será bloqueado e o que fica liberado na internet deve partir de uma análise das atividades realizadas pelos colaboradores, definindo quais tipos de conteúdos e serviços fazem parte das atividades da empresa e quais apenas contribuem com o desperdício de tempo da equipe.

  Temos duas premissas quanto a definição de regras no uso da rede: manter todos sites liberados e bloquear apenas o que não deve ser acessado ou manter tudo bloqueado e liberar os sites que podem ser acessados. Cabe a você como gestor definir qual opção se encaixa melhor no ambiente da sua empresa.

  Também é importante, antes de definir o que será bloqueado, obter e analisar relatórios de acesso para identificar o que os profissionais costumam acessar. Então, a partir da análise da navegação na rede da empresa, implementar filtros ou restrições que reduzam o desperdício de tempo e evitem o acesso a conteúdos que não tenham relação com as atividades da empresa.

  Na definição da política de acesso é importante ter bom senso e coerência, existem tipos de conteúdos que devem ser bloqueados, porém alguns sites podem ser liberados para setores específicos ou em horários flexíveis. Por exemplo, o setor de Recursos Humanos pode precisar acessar algumas redes sociais para obter informações sobre profissionais que estejam participando de processos seletivos da empresa, esse acesso pode ser liberado para alguns usuários ou então em apenas alguns horários específicos.

  É interessante também levar em consideração as responsabilidades de cada colaborador, pensando na internet até mesmo como alternativa em períodos de descanso e relaxamento em pequenos intervalos durante o trabalho, por exemplo liberar sites de entretenimento em um determinado horário.

  Mas, como tornar o uso da internet seguro e melhorar a utilização da rede na minha empresa com o controle de acesso à internet?

  Veja os principais tipos de conteúdos que devem ser avaliados para a definição de uma boa política de controle de acesso à internet na sua empresa:

  • Sites nocivos e maliciosos;

  • Redes Sociais;

  • Comunicadores instantâneos;

  • E-mail pessoal;

  • Pornografia, violência, drogas e bebidas alcoólicas;

  • Streaming de áudio e vídeo;

  • Armazenamento de arquivos e download de software;

  • Jogos e apostas;

  • Compras on-line;

  • Entretenimento;

  Para escolher a melhor opção para gerenciar o acesso à internet é importante definir bem as necessidades da sua empresa e comparar os custos, características e benefícios de cada uma das soluções existentes.

  Se quiser saber mais sobre as nossas soluções para o ambiente corporativo, fale agora mesmo com um dos nossos especialistas.

Abrir o Chat
Podemos Ajudar?
Olá,
Para mais informações entre em contato conosco pelo nosso Whatsapp.